top of page
  • Foto do escritorRenata Marques Professiori

Tratamentos para hidrocefalia

A hidrocefalia é uma condição médica que ocorre devido ao acúmulo excessivo de líquido no cérebro, causando aumento da pressão intracraniana. Além dos tratamentos médicos e cirúrgicos convencionais, a fisioterapia desempenha um papel crucial no manejo da hidrocefalia.


Neste artigo, exploraremos os diferentes tipos de tratamentos fisioterapêuticos que podem ajudar a melhorar os sintomas e a qualidade de vida dos pacientes com hidrocefalia. Descubra como a fisioterapia pode contribuir para o desenvolvimento motor, o equilíbrio, a coordenação e a funcionalidade dos indivíduos afetados por essa condição neurológica.


Tipos de tratamentos fisioterapêuticos para hidrocefalia


Existem diferentes tipos de tratamentos fisioterapêuticos que podem ser utilizados para auxiliar no manejo da hidrocefalia. Cada abordagem terapêutica tem como objetivo melhorar os sintomas e promover a funcionalidade dos pacientes.


Abaixo estão alguns dos principais tipos de tratamentos fisioterapêuticos para hidrocefalia:


Estimulação precoce

A estimulação precoce é um tipo de intervenção fisioterapêutica que é iniciada logo nos primeiros meses de vida do bebê com hidrocefalia. Essa abordagem visa promover o desenvolvimento motor e cognitivo, estimulando habilidades como rolar, sentar, engatinhar e andar.


Terapia aquática

A terapia aquática, também conhecida como hidroterapia, envolve a realização de exercícios específicos dentro da água. A flutuabilidade da água reduz o peso corporal e proporciona um ambiente seguro para a prática de movimentos. Essa abordagem ajuda a melhorar a força muscular, o equilíbrio e a coordenação.


Exercícios de fortalecimento muscular

A hidrocefalia pode levar a fraqueza muscular, especialmente nos membros inferiores. A fisioterapia inclui exercícios de fortalecimento muscular para ajudar a melhorar a força e a estabilidade. Isso pode incluir atividades como levantamento de peso, uso de faixas elásticas e exercícios de resistência.


Reabilitação do equilíbrio e coordenação

Muitos pacientes com hidrocefalia experimentam dificuldades no equilíbrio e na coordenação motora. A fisioterapia utiliza exercícios específicos para melhorar essas habilidades, como caminhar em linha reta, subir escadas, equilibrar-se em uma perna e praticar movimentos de precisão.


Treinamento de marcha

Para pacientes com hidrocefalia que apresentam dificuldades na marcha, o fisioterapeuta pode fornecer treinamento específico para melhorar a forma de andar. Isso pode incluir exercícios de fortalecimento, alongamento, uso de dispositivos de assistência, como órteses ou bengalas, e treinamento de marcha em diferentes superfícies.





É importante ressaltar que cada paciente é único e pode responder de maneira diferente aos tratamentos fisioterapêuticos. Portanto, é fundamental que o tratamento seja individualizado e adaptado às necessidades específicas de cada pessoa com hidrocefalia.


Um fisioterapeuta especializado nessa área será capaz de avaliar o paciente e desenvolver um plano de tratamento personalizado para otimizar os resultados.


Qual a fisiopatologia da hidrocefalia?

A fisiopatologia da hidrocefalia envolve um desequilíbrio entre a produção, circulação e absorção do líquido cefalorraquidiano (LCR) dentro do cérebro. O LCR é um líquido claro e incolor que circula ao redor do cérebro e da medula espinhal, desempenhando funções importantes, como proteção, nutrição e remoção de resíduos metabólicos.


Normalmente, o LCR é produzido pelos plexos coroides nos ventrículos cerebrais, que são cavidades preenchidas de líquido localizadas dentro do cérebro. Ele flui através dos ventrículos cerebrais e depois para o espaço subaracnoideo, onde é absorvido pelos vasos sanguíneos. Esse processo de produção e absorção mantém um equilíbrio adequado do volume e da pressão do líquido cefalorraquidiano.


Na hidrocefalia, ocorre um acúmulo excessivo de líquido cefalorraquidiano dentro do cérebro, resultando em aumento da pressão intracraniana. Isso pode acontecer devido a vários fatores, como:


1. Produção excessiva de LCR: O plexo coroide pode aumentar sua produção de LCR, resultando em um volume maior que o normal.


2. Obstrução do fluxo de LCR: Pode haver obstrução parcial ou completa do fluxo de LCR dentro do sistema ventricular ou em outras partes do sistema nervoso central. Isso pode ocorrer devido a tumores, cistos, aderências, estreitamento dos canais ou defeitos congênitos.


3. Má absorção do LCR: Em alguns casos, os vasos sanguíneos ou os tecidos que normalmente absorvem o LCR podem não funcionar adequadamente, resultando em uma diminuição da absorção e acúmulo do líquido.


O aumento da pressão intracraniana causado pela hidrocefalia pode levar a uma série de sintomas, como dores de cabeça, náuseas, vômitos, alterações de comportamento, dificuldades de equilíbrio e coordenação, convulsões e alterações na função cognitiva.


O tratamento da hidrocefalia geralmente envolve a drenagem do excesso de líquido cefalorraquidiano através de cirurgia ou a implantação de um sistema de derivação para redirecionar o LCR para outras partes do corpo, onde pode ser absorvido adequadamente. Esses procedimentos visam aliviar a pressão intracraniana e melhorar os sintomas associados à hidrocefalia.



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page